Notícias

“Chapeiros” anunciam subida de preço unilateralmente na Beira e edilidade opõe-se

A Associação dos Transportadores da Beira (ATABE) anunciou que, a partir do dia 30 deste mês, vai começar a aplicar uma nova tarifa, mesmo sem o aval das assembleias municipal e provincial. A ATABE alegou a subida constante do preço dos combustíveis e altos custos operacionais.

“A nossa actividade deixou de ser rentável. Ela é insustentável neste momento, por isso, a partir do dia 30 deste mês, a tarifa dos transportes públicos urbanos para uma distância de até 10 quilómetros passará a custar 15 Meticais e, para distâncias acima de 10 quilómetros, os preços vão variar de 18 a 25 Meticais. Para os transportes inter-distritais, o agravamento da tarifa é de 10 Meticais por cada 10 quilómetros contra cinco Meticais dentro da cidade”, explicou Américo Mussicuane, presidente da ATABE.

Mussicuane explicou, ainda, que a sua agremiação decidiu passar a aplicar a nova tarifa dentro de 15 dias. Mesmo sem o aval das assembleias municipal e provincial, porque “entendemos que o Governo tem estado a ignorar as nossas sugestões desde Janeiro deste ano e a última actualização da tarifa foi em 2018. Desde meados de 2021, temos estado a solicitar o reajuste da tarifa. Contudo, desde que as propostas foram submetidas pela última vez, no início deste ano, não tivemos resposta das autoridades. Portanto, ‘quem cala consente’, segundo um velho ditado”.

O Conselho Municipal da Beira, através da sua vereação dos transportes, já reagiu ao anúncio unilateral da subida da tarifa do “chapa”, no Chiveve, a partir do dia 30 deste mês, por mais cinco Meticais em todas as 26 rotas da urbe, por parte dos transportadores semi-colectivo de passageiros.

“Nós não vamos permitir tal subida de preço, mas também não estamos a dizer que o diálogo pára por aqui. Já que chamaram os órgãos de comunicação para falar sobre este assunto, achamos que seja algo que os apoquenta. As portas do Município [da Beira] não estão vedadas à ATABE. Queremos advertir os transportadores para que não tomem este posicionamento. A existência dos semi-colectivos depende dos munícipes. Não podemos crucificar a já crucificada vida dos mesmos, devido ao elevado custo de vida com nova tarifa aplicada de forma unilateral”, disse Flora Impula, vereadora para a área dos transportes no Município da Beira, para depois acrescentar que “a Assembleia Municipal vai debater a proposta, dialogar com os munícipes e, no fim, encontrar a melhor tarifa a aplicar para o bem de todos”.

A edilidade explicou que, realmente, a ATABE submeteu um ofício, há cerca de três meses, com propostas das novas taxas e pediu aos seus associados para não pressionarem a edilidade e que, sobretudo, tivessem paciência.

“A proposta continha erros reconhecidos pelos mesmos que, felizmente, já foram corrigidos. Neste momento, a proposta já foi analisada ao nível do executivo e enviada à Assembleia Municipal. Dada a pertinência do assunto, acreditamos que será marcada, para breve, uma sessão extraordinária para debater e a ATABE, certamente, será convidada. O consenso que será alcançado na sessão ditará a nova tarifa na Beira e a sua entrada em vigo”, concluiu Flora Impula.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo